31 C
Paramirim
15 de agosto de 2022
Início História Primeiro acidente de raio ocorrido em Paramirimn com registro em cartório

Primeiro acidente de raio ocorrido em Paramirimn com registro em cartório

O ano de 1937 está assinalado na história de Paramirim por um doloroso acontecimento, pouco conhecido das gerações contemporâneas. Por se tratar de uma fatalidade da natureza ocorrida no passado, talvez, nem vale a pena contar, mas se fosse algo recente com certeza daria manchetes para se perder de vista. Sobre o acontecido não há nenhuma dúvida, o fato foi registrado e testemunhado em livro competente com todas as tintas e letras, fazendo merecer a nossa atenção por considera-lo o primeiro acidente de raio com vítimas fatais ocorrido em Paramirim devidamente registrado em cartório.

Isso mesmo, um acidente de raio com três vítimas fatais da mesma família, acontecido na tarde de 4 de fevereiro de 1937 na vila de Paramirim, Estado da Bahia, no meio de um intenso temporal. O palco do acontecimento foi uma humilde casa de residência localizada nas imediações da atual Praça Pe. Benvindo, outrora denominada Praça Monte Cristo. Na época do acontecimento a vila contava com poucas ruas e a maioria delas não possuíam denominações oficiais. Circunstância que não nos permite situar exatamente o ponto ou a casa onde se deu a fatalidade, ora descrita.

Pelos relatos que ouvi, não se sabe quantas pessoas estavam presentes no alvo da faísca elétrica que se projetou naquela fatídica tarde em que perderam a vida Rosa Maria de Jesus, 40 anos, Joana Maria de Jesus, 39 anos e Thereza Maria de Jesus de apenas 5 anos de idade, todas da mesma residência e da mesma família. Os óbitos foram declarados no Cartório do Registro Civil do termo de Paramirim e registrados às folhas 66v e 67 sob os números 687, 688 e 689 do 2° livro sob a chancela do oficial Antônio Theodoro Azevedo. Conta a tradição oral que a menina de 5 anos se achava aconchegada no seio materno na hora da eletrocussão. Ou seja asfixia provocada por faísca elétrica, conforme consta da causa mortis.

Sem nenhuma dúvida, esse triste acontecimento mexeu com as emoções da pacata população de Paramirim. Muitos ainda se achavam abalados pela morte prematura de Dr. Edgard Landulpho da Rocha Medrado, médico e prefeito do município, ocorrida em 26 de dezembro do ano anterior.

A família enlutada era formada de pessoas simples, de origem africana com antepassados, certamente, ligados à escravidão negra. As vítimas viviam do oficio de lavadeiras, morejavam de sol a sol no rio Paramirim para ganhar o pão. Delas ainda existem parentes ou remanescentes praticando o mesmo oficio. Uma cultura, quem sabe, transmitida de geração a geração, desde os tempos mais remotos, talvez por destino ou quem sabe por uma modesta vocação.

O ofício de lavadeira, praticado pelas mulheres de Paramirim, as chamadas “batedeiras de roupas” tem raízes fincadas nas antigas senzalas do regime escravocrata. A sua grande maioria, dependia dessa atividade para sobreviver.

Travalhavam por um irrisório salário ou a troco de um prato de comida, como se falava. A tarefa começava na casa da patroa, logo cedo, e se estendia ao longo do dia. A cidade não possuía água encanada e o tanque de todas as lavadeiras era o “rio da rua“ próximo ao açude da ponte, onde, hoje, se estende o Balneário de Paramirim. Não havia varal para secar as roupas. Era o tempo do “sabão de bolo ” e do anil, da farofa de ovo amarrada num guardanapo, do bater, do quarar e do enxaguar na correnteza das águas. À tardezinha, todas retornavam em fila indiana pelo ” caminho do rego ” conduzindo   sobre a cabeça o fruto de um rotineiro e estafante trabalho, enrolado em alvos lençóis de algodão. Mãos ardendo, braços doloridos, estômago vazio, pernas cansadas sob o peso da trouxa, era mais um dia, um dia de estafante trabalho. Nao havia o que reclamar. Outra alternativa não existia.

A morte de Rosa e Joana desfalcou o plantel das lavadeiras de Paramirim. Uma tragédia, tomada ao pé da letra. Ninguém imaginava tal acontecimento. Claro que outros acidentes já haviam acontecido, mas a morte das pacus como era apelidada a família das vítimas foi um fato inédito, longe das raias do imaginário. Três corpos, três mulheres, três Maria de Jesus, três mortes por um único acidente de raio no mesmo dia e na mesma hora, tal acontecimento, não há como deixa-lo de fora do quadro das efemérides que marcaram a história de Paramirim, no campo das fatalidades da natureza.

[Em 1937, outros acontecimentos, além da morte das pacus por acidente de raio, marcaram a rotina da pacata Vila, prestes a se elevar a categoria de cidade. O velho Chico Brasil reassume a prefeitura por conta de uma eleição indireta da Câmara de vereadores. No sitio Pajeú falece o Cap. Raul de Souza Leão três vezes intendente na década de 20. Mas no campo político, o grande acontecimento desse histórico ano foi a implantação do Estado Novo com o golpe de 10 de novembro, pelo qual o Congresso Nacional foi fechado, bem como as assembleias estaduais e as câmaras municipais. O poder executivo passou a ter o controle efetivo sobre as demais instâncias com o pleno apoio das lideranças militares. Começava assim a ditadura de Vargas, prolongada até o ano de 1945.

Paramirim, 14 de junho de 2021

Prof. Domingos

Fonte: Facebook de Domingos Belarmino.

Luis Carlos Billhttps://focadoemvoce.com/
Luiz Carlos Marques Cardoso (Bill) trabalha de forma amadora com fotografia e filmagem. Ele gerencia atualmente dois sites: um de notícias e um pessoal. Está presente nas redes sociais, como no Instagram e Facebook, e tem um canal no YouTube com uma variedade grande de vídeos referentes à região da Chapada Diamantina e do Sertão brasileiro. Sua formação profissional é a de Contador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique Conectado

5,996FãsCurtir
3,600SeguidoresSeguir
105,000InscritosInscrever

Anuncie Aqui

Anunciando sua marca, produto ou serviço nesta página você terá a garantia de visibilidade entre usuários qualificados. São mais de 15.000 usuários únicos e 200.000 visualizações mensais.

Mais Artigos