19 C
Paramirim
17 de janeiro de 2021
Início Sem categoria O Brasil na “UTI”: Intervenção Militar já!

O Brasil na “UTI”: Intervenção Militar já!

* Por Irlando Oliveira

Os anais da história brasileira jamais registraram índices tão alarmantes e preocupantes, em todos os sentidos, como na atual conjuntura. O país vive eternamente sob suspeição e tensão, apresentando dados estatísticos que nos dão conta, a todo momento, de que, de fato, chegamos ao fundo do poço, com remotíssima possibilidade de vermos a tão desejada luz ao final do túnel.

No campo da política, acompanhamos escândalos após escândalos, envolvendo corrupção, malversação dos recursos públicos, obras inacabadas, outras concluídas e inauguradas mas que não funcionam, dando-nos mostra da incompetência e da desídia que permeia tal campo, acompanhada da impunidade, já que pouquíssimos são chamados à responsabilidade!

No campo da segurança pública, aliado àquilo que vemos através da mídia televisiva, falada ou escrita, diariamente – com destaque para o Estado do Rio de Janeiro -, nos deparamos com um dado assustador de mortes no país: em uma única semana, foram registradas nada mais nada menos do que 1.195 mortes, ou seja, uma a cada oito minutos. Tais dados foram catalogados entre 21 a 27 de agosto deste ano de 2017, em 546 cidades (aproximadamente 10% do total dos municípios brasileiros), pelo Projeto Monitor da Violência, resultado da parceria envolvendo o G1, o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Percebe-se, claramente, que o país está acéfalo, sem timoneiro! Não há condições de governabilidade quando se perde a confiança, o respeito e a credibilidade. Este é o cenário atual do Brasil! Diante de fatos não há argumentações! E acompanhamos, também, que não há sinais de progresso! O país está em pleno estado letárgico e de estagnação, no que respeita ao seu desenvolvimento como nação!

Desta forma, entendemos que não há outro remédio senão através de uma Intervenção Militar, conforme preceitua a nossa Constituição Federal, no artigo 142 – tão em voga -, já que as Forças Armadas se destinam “à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.

Vale dizer, o verbete “Intervenção”, à luz do dicionário, significa, dentre outros conceitos, “ato de exercer influência em determinada situação na tentativa de alterar o seu resultado; interferência”. Ora, aqui não há qualquer associação a Golpe Militar, até porque, na condição de o nosso país ser Estado Parte da Organização das Nações Unidas (ONU), tal tentativa seria totalmente descabida, principalmente em razão dos inúmeros embargos por parte da comunidade internacional.

O que não podemos é ficar inertes e silentes, tão-somente acompanhando a nau afundar, gerando, cada vez mais, prejuízos à nação, a qual já padece de sofrimentos mil, nas mãos de canalhas travestidos de bons mocinhos, usurpando os recursos da União, dos Estados e dos Municípios, gerindo o público como se privado fosse!

________________________________

* Irlando Lino Magalhães Oliveira é Oficial da Polícia Militar da Bahia, no posto de Tenente-Coronel do QOPM, atual Comandante do 14º BPM/Santo Antônio de Jesus, e Especialista em Gestão da Segurança Pública e Direitos Humanos.

Luis Carlos Billhttps://focadoemvoce.com/
Luiz Carlos Marques Cardoso (Bill) trabalha de forma amadora com fotografia e filmagem. Ele gerencia atualmente dois sites: um de notícias e um pessoal. Está presente nas redes sociais, como no Instagram e Facebook, e tem um canal no YouTube com uma variedade grande de vídeos referentes à região da Chapada Diamantina e do Sertão brasileiro. Sua formação profissional é a de Contador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique Conectado

5,996FãsCurtir
3,600SeguidoresSeguir
105,000InscritosInscrever

Anuncie Aqui

Anunciando sua marca, produto ou serviço nesta página você terá a garantia de visibilidade entre usuários qualificados. São mais de 15.000 usuários únicos e 200.000 visualizações mensais.

Mais Artigos