25.8 C
Paramirim
28 de julho de 2021
Início Paramirim DIA INTERNACIONAL DO AMIGO - Por Antônio Gilvandro

DIA INTERNACIONAL DO AMIGO – Por Antônio Gilvandro

No calendário, tantos são os dias em que se comemoram pessoas, instituições, conquistas, valores de todos os modos. Não seria, entretanto, possível olvidar aquele ou aquela a quem denominamos AMIGO. Ele, como direito e dever, também tem o seu dia. E esta celebração foi acontecida em 1969, na Argentina, pelo médico Enrique Ernesto Febbraro. Ele se inspirou na chegada do homem à lua, em 20 de julho do aludido 1969, que muitos viam como uma oportunidade de fazer amigos, em toda parte do Universo. O argentino durante um ano divulgou o lema: “Meu amigo é meu mestre, meu discípulo e meu companheiro” e enviou cerca de quatro mil cartas para diversos países e idiomas com o intuito de oficializar o DIA DO AMIGO. Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e, hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é DIA DO AMIGO. A iniciativa para o estabelecimento teve como antecedente histórico a Cruzada Mundial da Amizade, que foi uma campanha em favor da valorização e realce da amizade entre os seres humanos, a fim de fomentar a cultura da paz. Foi idealizada pelo médico Ramón Artemio Bracho, em Puerto Pinasse, Paraguai, em 1958. Nem todos os países, a data celebrativa de hoje é observada no mesmo dia. Muito embora a ONU (Organização das Nações Unidas), reconhecendo a pertinência e a importância da amizade como sentimento nobre e valioso, decidiu designar como Dia Internacional da Amizade o 30 de julho, em concordância com a proposta original promovida pela Cruzada Mundial da Amizade já aludida. Seja em que data for, o essencial é que todos os países que compõem o planeta voltem seu olhar para esta qualidade precípua do ser humano. Em face da crise avassaladora que varre o universo, seja ela econômica, religiosa, ética, sociológica, epidêmica, que tenha qualquer aspecto ou matiz, vale relembrar e, acima de tudo, ressaltar este valor que vem-se ofuscando, banalizando-se, cujo conceito para a cultura moderna não passa, muitas vezes, de um deboche, as pessoas conscientes, de todas as partes e de todos os quadrantes, têm o dever primordial de revitalizá-la, pois, sem dúvida alguma, é ela o caminho para se implantar a paz e o bem-estar das nações, que vêm-se apodrecendo nos contravalores da corrupção, do descaso, da covardia, da exploração dos mais pobres e empobrecidos. Por isso, as pessoas da atualidade estão tornando-se escancaradamente uma massa de tímidos, conformistas, destituídos de ousadia e proatividade. Repetindo o psiquiatra e escritor Augusto Cury, estamos “transformando-nos numa civilização intoxicada”. É lastimável que tal sobrepuja-se, quando está a nosso alcance um valor de valores incalculáveis: a AMIZADE! A amizade é uma ponte onde o amor vai e vem, comunicando o dom da vida. Essa ponte facilita o relacionamento confiante entre os amigos. Nessa relação, cada coração amigo é um vale divino, onde brota amor, afeto, ternura, carinho, compreensão, misericórdia e perdão. Pelo menos, este é o sujeito da história a que se vai, paulatinamente, minguando-se! Todos nós temos um juízo aligeirado ao nos referir a alguém que conhecemos. Vamos, logo, a proclamar: “É meu amigo!” Nesse particular, somos apressados demais ou retardados demais; raras vezes, certos! O notável escritor norte-americano Thomas Mérton, em seu livro Homem Algum é uma Ilha, discorre que “podemos, em certo sentido, ser amigos de todos os homens, porque não há homem na terra com quem não tenhamos algo de comum. Mas seria falso tratar com intimidade um grande número de homens. Não é possível ser íntimo senão de uns poucos, porque são muitos poucos no mundo com quem temos tudo em comum.” Ser amigo é algo precioso. Não é para todo mundo. Todavia, temos de meditar, muito no íntimo de nós próprios! O filósofo Sêneca chega a nos advertir: “Não te interesses sobre a quantidade, mas sim sobre a qualidade de vossos amigos!” É bom conscientizar-nos sobre esta verdade que sempre distingo, quando penso comigo mesmo: “O mais importante não é ter amigo, o mais importante é SER AMIGO!” Não importa se tenho um ou cem. Cada um, em cada momento, é especial, é único, é vital. Amigo não se escolhe. Não se pede ninguém em amizade. Ela existe ou não, sem tempo predeterminado. Sem prazo para iniciar. Em se falando, neste valor, que hoje grande parte do mundo debruça-se, inda que em comemoração virtual, há, agora, uma visão contextualizada dele. Antes e acima de tudo, estamos vivendo uma hora de convocação. Se todos os valores estão abalados, com o surgimento inesperado dessa genocida pandemia, e, a partir daí não se pode vislumbrar como será o futuro planetário, não seria este o instante, o minuto e o segundo de repensar um novo conceito de amizade também?! Será que esse abalo sísmico moral e ético, não estará a nos pedir uma introspecção bem acurada, uma viagem dentro de nós mesmos, para que “construamos o homem e o mundo”, como propõe o psicólogo francês Michel Quoist, arrodeado de total felicidade, sem distinção de qualquer matiz e espécie?! Será que não estamos a sofrer um puxão de orelhas, a fim de que mudemos os nossos pontos de vista, em se referindo ao serviço à humanidade?! Será que, mesmo sem conhecer a qualquer um, ignoramos que 25,3% da população brasileira estão abaixo da linha de pobreza, ou sejam, 52,5 milhões de pessoas, sendo 72,7% deles negros ou pardos?! Será que desconhecemos que em nosso País 1 em cada 4 brasileiros vive com menos de R$ 420,00 por mês?! Enquanto isto e muito mais, sabemos que, em pleno vendaval dessa pútrida peste chinesa, muitos ainda não se tocaram da gravidade da crise que arrodeia e assalta a comunidade humana!!! Não estão nem aí nem vêm chegando, como diz a parêmia!

Vale aqui lembrar o escritor e psiquiatra Augusto Cury: “Foi necessário um miserável vírus para nos mostrar que o culto à celebridade é uma estupidez intelectual e que não há nenhuma diferença entre um miserável ou alguém que vive, sob os holofotes da mídia. Foi necessário um vírus para nos recordar a fascinante sabedoria do Mestre dos Mestres que ao ser traído por Judas o chamou de amigo, pois ele não tinha medo de ser traído, mas de perder um amigo. Para ele os amigos eram caríssimos.” Por aí se vê que a amizade é um bem de inestimável valor, sob todos os aspectos! Amizade é sentimento, é afeto, amor, respeito, veracidade, empatia, carinho, tolerância, cumplicidade… Sem disponibilidade interior é impossível ser amigo de alguém. “Disponibilidade, simplicidade e compreensão são fundamentais no processo de Ser Amigo,” confirma-o o escritor Anísio Freire. Um notável teólogo alemão, Ansenlm Grun, admoesta que “de qualquer modo, quem nada tem a transmitir não pode ser amigo de ninguém. A única coisa que realmente temos somos nós próprios. É o que temos a oferecer, e devemos fazê-lo.” Nesta oportunidade, cabe-me saudar a todos os amigos, a começar do meu maior que é JESUS, Aquele que nunca me falhou e ao qual estou predisposto para o que der e vier, porque confio! Saúdo a meus familiares, a todos que me cercam e que têm sido companheiros inseparáveis. Envio minhas saudações neste Dia aos pobres e empobrecidos, àqueles que são vistos como os zés-ninguém da sociedade, a todos que merecem e devam exigir de mim, que digo ser cristão, a mais razoável defesa e o mais irrestrito apoio. Enfim, parodiando São Francisco, o Poverello de Assis, quero envolver um amplexo aos animais, às florestas, ao meio ambiente, “ao homem, cada homem, cada grupo de homens, até se chegar à Humanidade inteira”, como justa e vincadamente asseverou o sociólogo francês Jospeh Lebret. Enfim, reitero meus mais ardorosos cumprimentos a todos indistintamente, afirmando e confirmando a minha mais forte amizade. Lembrando as palavras bíblicas, no livro do Eclesiástico, cap. 6, vers. 14 e 17: “Amigo fiel é proteção poderosa, e quem o encontrar, terá encontrado um tesouro. Quem teme ao Senhor tem amigos verdadeiros.”

Antônio Gilvandro Martins Neves

Advogado- Paramirim-Bahia

Luis Carlos Billhttps://focadoemvoce.com/
Luiz Carlos Marques Cardoso (Bill) trabalha de forma amadora com fotografia e filmagem. Ele gerencia atualmente dois sites: um de notícias e um pessoal. Está presente nas redes sociais, como no Instagram e Facebook, e tem um canal no YouTube com uma variedade grande de vídeos referentes à região da Chapada Diamantina e do Sertão brasileiro. Sua formação profissional é a de Contador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique Conectado

5,996FãsCurtir
3,600SeguidoresSeguir
105,000InscritosInscrever

Anuncie Aqui

Anunciando sua marca, produto ou serviço nesta página você terá a garantia de visibilidade entre usuários qualificados. São mais de 15.000 usuários únicos e 200.000 visualizações mensais.

Mais Artigos