31.6 C
Paramirim
28 de julho de 2021
Início Nota de Falecimento Adeus à Dona Ann Lodge

Adeus à Dona Ann Lodge

Faleceu, no dia 16 de janeiro de 2015, em Phoenix, Arizona, Estados Unidos da América, a senhora Ann Carmichael Lodge, viúva do pastor David Lodge. Ambos eram bem conhecidos na região de Paramirim – Ba, onde viveram, por muitos anos, desempenhando a função de missionários da Igreja Presbiteriana – ele, como pastor e ela, como uma grande mulher que, além de cuidar da família, dava grande suporte ao seu esposo nas atividades relacionadas à igreja e nas funções sociais e comunitárias que essa disponibilizava.

Formada em Matemática, com pós-graduação em Educação e um profundo conhecimento em música e artes, Dona Ana, como era conhecida por todos aqui no Brasil, utilizava dessas habilidades para desempenhar sua função sócio-cultural na comunidade em que vivia. Assim, além de dirigir a escola dominical, coordenar encontros de jovens e casais, ela exerceu a função de professora no então Colégio de Paramirim, cujo desempenho brilhante lhe mereceu o convite para servir como Paraninfa dos formandos do curso de Magistério, turma 1971, da qual fiz parte. A cerimônia de formatura foi uma das mais bonitas e concorridas daquela época, dada, justamente, à criatividade e habilidade artístico-musical de D. Ana, que, embora protestante, escolheu, planejou e executou ao piano todas as músicas que compunham o repertório da solene missa de formatura, com um detalhe – o coral era composto pelos formandos e regido, ao mesmo tempo, pela pianista. Em seu discurso de agradecimento, enquanto Paraninfa, ela abordou questões sociais, políticas, educacionais e falou sobre o ecumenismo, um tema polêmico, controvertido, porém em voga naquela época.

Na dramaturgia, D. Ana e o Rev. David, seu esposo, montaram, dirigiram e implementaram em Paramirim, no final dos anos setenta, uma peça religiosa que foi encenada em praça pública utilizando-se de uma montagem com som, luz e tecnologia super moderna para a época.

Olhando atrás, podemos dizer que D. Ana era considerada uma mulher à frente do seu tempo, uma visionária que utilizava de sua ousadia, coragem, inteligência, iniciativa e criatividade para por em prática tudo aquilo que julgava importante e que trouxesse benefícios para a comunidade em que atuava. Como boa missionária, D. Ana tratou de romper as barreiras impostas pelas diferenças religiosas da ocasião, adotando-se o ecumenismo como um possível caminho de união entre as diferentes denominações evangélicas e eclesiásticas, e colocando a fé cristã acima de todas essas denominações. Isso, naturalmente, não deixava de incomodar a parte conservadora da sua igreja e a das igrejas que acolhia como parceiras.

Levando-se em conta o adágio popular que diz que “por trás de um grande homem sempre existe uma grande mulher”, poder-se-ia dizer que D. Ana foi um grande exemplo disso. A eficácia e o excelente desempenho de David Lodge, enquanto pastor, deviam-se ao trabalho incansável, ao cuidado, à dedicação, ao apoio logístico e burocrático de Dona Ana. Na verdade, até os sermões do Rev. David passavam pelo crivo e pela apreciação de sua esposa, dado ao seu conhecimento bíblico, teológico e linguístico. A respeito do seu conhecimento da língua portuguesa, nunca me esqueço dos momentos em que ela nos chamava a atenção para que articulássemos corretamente as palavras e observássemos as concordâncias gramaticais durante os ensaios das músicas do coral que dirigia. D. Ana era uma perfeccionista, super organizada, de raciocínio rápido e lógico, talvez por conta de sua formação matemática e musical. Era ela quem cuidava da parte administrativa e financeira da igreja, e que lidava com as questões inerentes à família junto à sede da Missão.

Além de Paramirim, os Lodges também prestaram serviços missionários e sociais em Sítio do Mato, Ponte Nova, hoje Wagner, na Bahia. Porém, foi em Paramirim que passaram a maior parte dos mais de 12 anos vividos no Brasil. Foi em Paramirim, também, que, basicamente, cresceram os quatro filhos do casal: Susan, Elisabeth, Marjorie e James, os quais criaram laços de amizade e sentimentos de amor à terra que os viu crescer. O Rev. David e D. Ana hoje sobrevivem através desses quatro filhos, dos seus netos e bisnetos e do grande legado de bons exemplos a serem seguidos.

Na condição de grande amigo da família Lodge, e de ter por ela uma imensa gratidão, quero deixar aqui as minhas condolências e os meus sentimentos de profundo pesar pela perda dessa senhora que era tida por muitos como “a dama paramiriense”, muito embora fosse de nacionalidade americana. Isso demonstra o carinho, o respeito, a admiração e o reconhecimento por essa mulher que, mesmo sendo de terras estrangeiras, deixou marcas indeléveis na Paramirim dos anos sessenta e setenta.

Uma celebração da vida, em homenagem à D. Ana, acontecerá no dia 21 de fevereiro deste, às 14 horas, na Heritage Presbyterian Church, em Glendale, Arizona, U.S.A. A celebração será conduzida pela sua neta, Clare, que seguiu os passos do avô e se tornou ministra.

Que sua alma descanse em paz e que suas boas lembranças e ações continuem vivas em nossos corações.

Diógenes Lima

Ibiajara, 20 de janeiro de 2015.

Fonte: http://oecojornal.com.br

Luis Carlos Billhttps://focadoemvoce.com/
Luiz Carlos Marques Cardoso (Bill) trabalha de forma amadora com fotografia e filmagem. Ele gerencia atualmente dois sites: um de notícias e um pessoal. Está presente nas redes sociais, como no Instagram e Facebook, e tem um canal no YouTube com uma variedade grande de vídeos referentes à região da Chapada Diamantina e do Sertão brasileiro. Sua formação profissional é a de Contador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique Conectado

5,996FãsCurtir
3,600SeguidoresSeguir
105,000InscritosInscrever

Anuncie Aqui

Anunciando sua marca, produto ou serviço nesta página você terá a garantia de visibilidade entre usuários qualificados. São mais de 15.000 usuários únicos e 200.000 visualizações mensais.

Mais Artigos