31.6 C
Paramirim
28 de julho de 2021
Início Paramirim A primeira mulher a ocupar o cargo de agente Postal de Paramirim...

A primeira mulher a ocupar o cargo de agente Postal de Paramirim e Água Quente

A agência dos correios de Água Quente com categoria de segunda classe foi criada por portaria do Diretor Geral dessa repartição de 13 de agosto de 1881, pela qual também se criou a de São Felpe e das Almas, na província da Bahia e mais uma de terceira classe na freguesia de Jiquiá, na província de São Paulo, conforme se acha publicado no Jornal Diário do Brasil de 16 desse mesmo mês e ano, arquivado na Biblioteca.     Nacional do Rio de Janeiro. Não se sabe quem foi o seu primeiro Agente Postal, mas uma publicação no Diário Oficial da União informa que por ato de 6 de agosto de 1895 foi nomeado para o referido cargo o Sr Job Marques de Leão, irmão do Monsenhor Hermelino. Sabe-se também que Francisco José de Azevedo esteve à frente do mesmo e que após o seu falecimento ocorrido em 08 de março de 1907 foi efetivada sua transferência de Água Quente para a povoação de Paramirim pelo fato desta ter se tornado a nova sede do termo.

Com essa mudança, a antiga agência de Água Quente passou a funcionar em Paramirim com endereço na praça da feira, mais tarde denominada oficialmente de praça Santo Antônio. Em 1914, o Capitão Trasíbulo 0limpio de Brito compra ao Capitão Gervásio Jose Cardoso a casa de morada, bem mais tarde conhecida como casa de D. Mariazinha, localizada na mencionada praça e nela passa a funcionar a Agencia do Correio até o ano de 1948, quando é relocada para o imóvel adquirido pela municipalidade na rua 16 de setembro, ocasião em que se inaugura o funcionamento do telégrafo Paramirim Rio de Contas. Sua transferência definitiva para a rua Cel Hermenegildo se deu com a inauguração do prédio construído pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) em 25 de março de 1993 na gestão do presidente da República Itamar Franco, isso, após a obra ter ficado interrompida por trinta anos a fio.

Ao longo desse percurso muitos fatos curiosos aconteceram, tais como o falecimento de Francisco Jose de Azevedo ocorrido 8 de março de 1907 e o de Dona Maria Emilia Cayres Brito, em 05 de setembro de 1936, ambos maridos e mulher, ambos falecidos em pleno exercício do cargo de agente postal. Consta também a falsa notícia divulgada pela imprensa do assassinato de um agente em 1913, nas desmentida pelo Delegado de Rio de contas,0 conforme consta na gazeta de Notícias (Bahia) edição de 01 de julho do mesmo ano. Sabe-se também que a escritura pública do imóvel adquirido pela prefeitura por 6$000.000, em 1933, para nele funcionar a agência dos correios, nunca foi encontrada o elo desse esclarecimento de dois livros do Cartório do Tabelionato de notas. Por conta disso, o serventuário teve que responder processo. O mais curioso de tudo que se conta é que o atual prédio dos correios foi autorizado pelo Ministério das Comunicações para ser construído em Parnamirim (PE) e acabou ficando, por sorte nossa, em Paramirim (BA), mas tivemos que amargar três décadas de espera para sua conclusão (1963-199). A escritura do terreno e a placa de inauguração do prédio confirmam essa maratona. fato que ajudou a engrossar as obras inacabadas do governo Federal durante essa longa temporada. O governo errou o alvo e nós pagamos o mico.

Capítulo especial seria se tivéssemos aqui tempo e espaço para narrar o circuito ou a trajetória percorrida por uma correspondência até chegar a Paramirim no período em que tudo se fazia no lombo do burro. Quantas vezes tivemos que espichar os olhos até a entrada da cidade para contemplar a chegada de Seu Chico do Correio, vindo de Rio de Contas trazendo as notícias, duas vezes por mês, no seu burrinho de carga mais lento que uma tartaruga.  Estradas intransitáveis, distâncias intermináveis, meios de transporte precários, debaixo de sol e chuva, enfrentando toda sorte de adversidades, os destemidos estafetas. Às vezes sozinho, outras acompanhado de um escravo, enfrentavam o vazio dos caminhos, o frio das madrugadas e o mormaço do meio dia, subindo e descendo serras, atravessando gerais, rios e correntezas, fazendo pouso ao relento para dar conta das incumbências que lhe eram atribuídas. No percurso de ida e volta se tornaram úteis a sociedade e a pátria, arriscando a vida, sem o devido reconhecimento com um irrisório salário e um singelo título de condutor de malas. Muita responsabilidade até porque nas malas do correio também se conduzia envelopes transparentes com valores declarados. Esses heróis levavam esperanças e desenganos, convites, acordos e decisões. Faziam os que os modernos

Meios de comunicação de hoje realizam aproximavam pessoas, encurtavam distâncias com uma marcante diferença. Antigamente. se fazia com muito mais tempo que atualmente.

Aos doze dias do mês de Março de mil novecentos e sete, décimo nono da Republica n’ esta Villa de Água Quente, Distrito e Município da Villa do mesmo nome, Comarca de Minas do Rio de Contas, Estado da Bahia, às oito horas do dia em casa de residência da viúva do Agente do Correio D. Maria Cayres de Azevedo, presente o Senhor Juiz de Paz em exercício, o cidadão José Antônio Vieira e Silva, comigo Escrivão de Paz effetivo de seu cargo abaixo assignado e as testemunhas Capitão Júlio Bernardo de Brito e Major José Joaquim da Rocha Cayres, o Senhor Juiz de Paz declarou que em virtude do officio do encarregado novamente nomeiava para ficar de posse da Agencia do Correio d’ esta Villa, athé que o Excelentíssimo Senhor Doutor Administrador dos Correios nomeiasse novo Agente, pelo recente falecimento do Agente Francisco José de Azevedo, encarregava a mesma viúva do fallecido Agente para tomar conta dos misteres d’ esta repartição, athé nova determinação do Excelentíssimo Senhor Doutor Director dos Correios, ficando sem efeito a incumbência feita ao Cidadão Plínio da Silva Tunes, do que para constar lavro este termo que assigna o Juiz, a encarregada e as testemunhas. Eu, Escrivão de Paz effectivo o escrevi e assigno. José Antônio Vieira e Silva, Maria Cayres de Azevedo Júlio Bernardo de Brito, José Joaquim da Rocha Cayres e João José de Oliveira Doutor.

Maria Emília da Rocha Cayres, mais conhecida por Mariquinha, filha de Manoel Joaquim da Silva Cayres e de Roza Cândida da Rocha Cayres, nasceu em 1877, na então freguesia de Nosssa Senhora do Carmo do Morro do Fogo, hoje, pertencente ao Município de Érico Cardoso (ex-Água Quente). Compõe a base da tradicional família Cayres do sitio Malhada, formada de mais 11 irmãos, 6 homens e 5 mulheres. Era neta pelo lado materno de Aurélio Rocha e Lina Roza Rocha, naturais de Minas do Rio de Contas. Casou-se em primeiras núpcias no cartório de Água Quente com Francisco José de Azevedo em 30 de novembro de 1895, de quem se tornou viúva, sem deixar descendência, em 08 de março de 1907. Pouco tempo depois, contraiu matrimônio com Trasíbulo Olímpio de Brito, filho de Filotheo de Britto Gondim e Angelica Sophia de Britto (originários de Igaporã, Bahi ), de cujo casal nasceram os filhos Antonio, Ulysses e Maria Angelica Cayres Brito,  mais conhecida por dona  Mariazinha. Faleceu em sua residência na Praça Santo António, aos 59 anos de idade, em 05 de setembro de 1936, em pleno exercício da função de agente postal de Paramirim. Uma pioneira do serviço público.

Assim sendo, pelo que li, vi e ouvi, finalizo essa pequena narrativa sobre a Agência dos Correios de Água Quente, criada em 1881 e transferida para a vila de Paramirim em 1907, acentuando que não se trata de um trabalho concluído ou finalizado pela vastidão do seu conteúdo e o protagonismo dos atores nele envolvidos. Por outro lado, fica mais que patenteado que não há nenhum contraditório em nossas singelas palavras até porque contra fatos não há argumentos. Maria Emília Cayres azevedo, viúva de Francisco José de Azevedo e mais tarde esposa legitima do Capitão Trasíbulo foi realmente a primeira mulher a ocupar o cargo de agente dos correios tanto de Água Quente como de Paramirim. Um feito, porque não dizer memorável. pelas restrições carreadas ao sexo frágil numa época e num contexto de muitos preconceitos. Dona Msrwuinha exerceu essa incumbência com tanta distinção que se popularizou como Sa Marquinha da Agência. Tanto fez por merecer esse prestigio que após a sua morte sua filha Maria Angelica Cayres Brito tornou-se a sua legítima sucessora.

Paramirim, 21 de. Julho de 2021.

Prof. Domingos

Fonte: Facebook de Domingos Belarmino.

Luis Carlos Billhttps://focadoemvoce.com/
Luiz Carlos Marques Cardoso (Bill) trabalha de forma amadora com fotografia e filmagem. Ele gerencia atualmente dois sites: um de notícias e um pessoal. Está presente nas redes sociais, como no Instagram e Facebook, e tem um canal no YouTube com uma variedade grande de vídeos referentes à região da Chapada Diamantina e do Sertão brasileiro. Sua formação profissional é a de Contador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique Conectado

5,996FãsCurtir
3,600SeguidoresSeguir
105,000InscritosInscrever

Anuncie Aqui

Anunciando sua marca, produto ou serviço nesta página você terá a garantia de visibilidade entre usuários qualificados. São mais de 15.000 usuários únicos e 200.000 visualizações mensais.

Mais Artigos