Focadoemvocê Entrevista

Gilson PimentaA Sessão Ordinária do dia 12 de maio de 2010 aconteceu no salão da Câmara de Paramirim onde na ocasião esteve presente o Diretor de Agricultura Gilson Pimenta. A presença do Diretor se deu pelo simples motivo de um dos Vereadores ter cobrado na Sessão anterior. A reivindicação do nobre Vereador João de Almeida estava pautada na elucidação de perguntas referentes à pasta.

O Vereador João de Almeida indagou ao Diretor sobre os andamentos de projetos para usar águas da Barragem Zabumbão, da Lagoa da Tabua e da Lagoa de Caraíbas. Segundo as palavras de Gilson não existem nenhum projeto no momento referente ao tema mencionado. O mesmo afirmou que o projeto para irrigação com água da Barragem Zabumbão está engavetado. Afirmou que a Barragem foi construída para abastecimento de água, mas que se ela mantivesse seu volume daria para irrigar duas mil hectares sem nenhum problema.  “O Poder Público parece não ter vontade para implantação desse tipo de projeto”, palavras do Diretor.

Sobre a Lagoa de Caraíbas, para os senhores verem, o Vereador Antônio Marques sabe muito bem o que estou falando. Fizemos em Caraíbas um projeto de horta comunitária, demos a terra, as sementes, os adubos para que começassem os trabalhos. Mas faltou uma melhor organização por parte dos membros e com o tempo o projeto travou por falta de dinheiro. Deveria ter tirado sempre uma quantia para tornar o projeto viável durante todo o tempo e não produzir e gastar todo o dinheiro e depois ir ao Poder Público pegar mais. Fizemos também a distribuição de galinhas, foram duas mil, demos a ração e fizemos os poleiros, mas se hoje for aos proprietários que receberam não acha sequer um frango – palavras do Diretor.

Por que a EBDA não colocou estande na Feira das Cidades? ­– indagou o Vereador João de Almeida.

Simplesmente por que não fomos convidados. Todos sabem o porquê da falta da EBDA no evento. Quem esteve à frente da organização da Feira foi o Secretário de Esporte, como ele carrega magoa quanto à entidade nos ignorou. Se não somos bem vindo em um local então lá não fizemos presentes – palavras do Diretor.

Nosso Município precisa de um veterinário custeado pelo Poder Público. Por sinal, coloquei uma indicação nesta casa pedindo um, mas até o momento nada aconteceu. Na gestão passada do Prefeito atual nós tivemos um, que foi muito produtivo para o homem carente do campo. Quanto à questão o que o senhor tem a dizer? – indagou George Magalhães Tanajura.

O prefeito garantiu que iria contratar um agrônomo, mas por algum motivo ainda não aconteceu. Faltou o dialogo, pois o espaço existe. Precisamos sentar novamente para acertar a contratação de um profissional qualificado – palavras do Diretor.

Importamos de outros Municípios as hortaliças, as frutas e as verduras, mas ainda fabricamos o queijo, o requeijão. Nosso Município precisa muito de um trabalho de inseminação artificial para que ocorra o melhoramento do nosso rebanho. O que o senhor tem a nos dizer a este respeito? – indagou Evando Carlos.

Essa é a melhor forma. Iremos correr atrás e em breve traremos uma resposta para os senhores. Já tivemos um curso aqui na nossa cidade no passado e foi muito produtivo – palavras do Diretor.

Quanto ao matadouro aqui para nosso Município como anda a questão? Macaúbas ganhou um laticínio ele abrangerá nosso cidade? – indagou João Teixeira Ramos.

Esses projetos estão sendo feito por territórios. A dificuldade do matadouro é o alto valor. Estamos a depender das eleições deste ano. Quanto ao laticínio ele abrangerá nossa cidade, fazemos parte do território em questão – palavras do Diretor.

Eu não acredito na irrigação com a água da Barragem Zabumbão, só serve como propaganda política. Na época em que começava o Governador atual dá os primeiros passos para ganhar o Governo da Bahia alguns deputados, “neste mesmo salão”, gritaram dizendo que o projeto da Barragem era questão de dias para sair do papel, porém sabemos que nada aconteceu. Nosso município tem muitos projetos para ser desenvolvidos. O Sindicato dos Trabalhadores de Paramirim perdeu o foco, pois não é responsabilidade do sindicato gastar recursos na área de saúde. Qual é o projeto do sindicato para a agricultura? Nenhum. Precisamos unir forças, a EBDA, a Secretária de Agricultura do Município, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e nós do Legislativo para melhorar a situação do homem do campo – explanou Osório dos Anjos.



                                                                                                     Página Inicial