Focadoemvocê Entrevista

Anderson Carlos Silva  CardosoNome: Anderson Carlos Silva Cardoso
Profissão: Odontólogo

Site: O senhor trabalha atendendo o pessoal carente da nossa região, gostaríamos de saber qual o estado dentário da grande maioria das pessoas que fazem parte dessa classe?

Anderson: Atualmente trabalho em dois setores distintos; no setor público na zona rural, na comunidade do cipó e no setor particular, na minha clínica (clicep). Em nosso trabalho deparamos com situações lamentáveis, mas também encontramos com situações boas de saúde bucal. Tendo em vista algum tempo atrás em que se tratar de dente era coisa de rico, hoje existem vários programas de saúde bucal oferecido principalmente pelo governo federal que estão ajudando e muito à população mais carente. O problema todo é que algumas vezes a população não sabe ou até mesmo não procuram os consultórios dentários públicos nem particular. Hoje em dia poderia ser bem melhor a saúde bucal, mais ainda não é, infelizmente.

Site: Quais são as doenças mais comuns que atacam a população da nossa região?

Anderson: Bem, em relação à área odontológica sem dúvida alguma a cárie dentária é a que acomete mais a população, em segundo plano vem outras doenças como: gengivites, periodontite, candidíase, etc.

Site: Qual é o papel do Setor Público para minorar os efeitos nefastos para os que não podem pagar por um tratamento dentário de qualidade?

Anderson: Para mim a função do setor público é de fundamental importância neste assunto, é ele que pode fazer com que grande parte das pessoas seja beneficiada. Hoje com vários programas de saúde sendo implantados, outros já em pleno andamento como o PSF, Brasil Sorridente entre outros, estão ajudando e muito as pessoas de baixa renda. Ainda é pouco pela situação dentária da população brasileira, mas já está ajudando e diminuindo o índice da doença. Programa de educação e prevenção também está sendo bem difundido entre os municípios gerando assim uma consciência mais séria e um conhecimento mais claro das doenças bucais.

Site: Cite algumas praticas simples que ajudam em muito na conservação dos dentes?

Anderson: Gosto muito de trabalhar com prevenção. Então as escovações regulares bem como diminuição do açúcar e usos de fluoretos orais, são primordiais para uma saúde bucal satisfatória.

Site: Hoje em dia só tem dentes estragados quem quer?

Anderson: Em parte sim. Mais muitas vezes ou se não na maioria uma grande parte da população não tem um poder financeiro adequado. Vivemos em um país pobre em que o desequilíbrio financeiro faz com que as pessoas deixam a saúde bucal em segundo plano. 

Site: Para o senhor qual a importância do dentista na sociedade?

Anderson: Para mim é uma profissão de extrema necessidade para as pessoas e cada vez mais  está ganhando seu espaço  pela sua importância que  tem na área da saúde como um todo. Não se fala em saúde sem se falar em saúde bucal.

Site: O senhor se arrepende em ter se formado em Odontologia?

Anderson: Em nem um momento!   Sempre fui apaixonado pela minha profissão, amo de coração a odontologia.

Site: O que o levou a optar por esta área?

Anderson: Minha identificação pela profissão. Vocação!

Site: Deixe uma mensagem a população da nossa região quanto a higiene e os cuidados que todos devem ter com os dentes?

Anderson: Bem, em primeiro lugar deixo uma frase curta e objetiva: “quem gosta e sabe o que nós temos somos nós mesmos”.
Diante disso a nossa higiene pessoal é um hábito diário que só nós mesmos sabemos se fazemos ou não. Não adianta só fazer pela metade ou esconder.
Cada pessoa deve ter a consciência de sua higiene. Não deixar de escovar os dentes na hora certa diminuir mais os alimentos ricos em açúcar. Uso do fio dental, bochecho com anticéptico bucal e visitar seu dentista em cada 6 meses.
Não esquecendo sempre de os pais orientarem sempre os filhos a realizar a sua higiene oral.

Site: Qual o seu conselho para aqueles que pretendem cursar Odontologia?

Anderson: Minha mensagem ou conselho é simples e objetivo; o bom profissional é aquele que ama o que está fazendo.  Sua realização depende do seu desempenho. Entrar por um acaso no curso de odontologia é aventurar seu futuro. Se identifique pela área, comece cedo a amar e desejar a odontologia.
Não olhe se a área está saturada ou não, se ganha dinheiro ou não, se tem status ou não.
Faça porque gosta, trabalha porque ama e se realiza porque você merece!



                                                                                                     Página Inicial