Morro do Fogo

Morro do Fogo foi o lugar onde tudo começou para a região do Vale do Paramirim. A partir desse local sugiram Água Quente (hoje Érico Cardoso) e Arraial dos Ribeiros (hoje Paramirim). Encontra-se na Chapada Diamantina, Sudoeste Baiano, no município de Érico Cardoso, no alto da Serra do Morro do Fogo. Possui um clima ameno. Morro do FogoNasce nas intermediações, um dos principais afluentes do Rio Paramirim, o Rio do Morro. Estar situada perto do Pico das Almas, um dos pontos mais alto do estado da Bahia.
Com o esgotamento das minas de ouro em Rio de contas fez com que, garimpeiros e outros do ramo, buscassem novas fontes em novos locais. Assim, subiram a serra chegando ao Rio do Morro. Ao notar a abundancia do minério, por necessidade, aflorou-se um povoado. De início adquiriam o ouro de aluvião, na abundancia o povoado cresceu, com seu declínio passaram a cavar nas rochas a procura pelas fileiras, método trabalhoso e de pouco resultado, nesse momento começa o declínio. No livro (Água Quente – sua História, sua Gente e seus Encantos) de Délio João Viana Martins, o mesmo explica o porquê desse nome, Morro do Fogo. Morro do Fogo “Morro do Fogo, devido ao fogo aceso pelos mineradores, para servir de sinalização”. Outra hipótese é a de que em certos lugares dava-se para avistar um brilho (parecendo ao do fogo), cometa-se sobre um tipo de mineral que ao ser tocado pelos raios solares brilhava feito fogo, daí o nome.
O Morro do Fogo, hoje, é mais conhecido pelos festejos em louvor a Nossa Senhora do Carmo, na data de 16 de julho. A cada ano o número de romeiros e visitantes vem aumentando. No povoado, que antes fora sede da freguesia, encontra-se a Capela. Morro do Fogo Nela existem as imagens de Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário, São Miguel e São Gonzalo. O único vigário foi o Padre Sebastião Dias Laranjeira, que conduziu a paróquia por 13 anos. Atualmente existe uma cidade baiana em homenagem a ele, seu nome, Sebastião Laranjeira. Estudou na Itália, na faculdade de Sapienza, recebeu o Diploma de Láurea, doutorou-se em Direito Canônico, tornando-se depois o segundo Bispo de Porto Alegre (fontes do livro: Água Quente – sua História, sua Gente e seus Encantos. De Délio João Viana Martins).
No Morro do Fogo além da Capela de Nossa Senhora do Carmo existem a rua principal, outra mais ao fundo ligada a essa, uma pequena praça tendo ao meio um coreto. Morro do Fogo O Rio do Morro corre entre os quintais das residências, encontra-se ali mesmo sua linda e encantadora cachoeira.
Agricultura e pecuária praticamente não vigora. Terreno pedregoso dificulta o plantio e a criação de animais em escala econômica. Apenas há uma agricultura de subsistência, onde são aproveitadas as pequenas faixas de terras propícias as culturas, que na maior parte, não passam de pomares, formados na sua maioria por laranjeiras. Tudo lembra história quando se fala em Morro do Fogo. Por sinal, o melhor a fazer é glorificar o passado, porque do presente apenas nos resta os festejos a Nossa Senhora do Carmo.Morro do Fogo As antigas casas somem em detrimento de novas, o lixo está por todos os lados. A Capela já não é mais a mesma. A história devagar vai perecendo. Para esse povoado resta apenas um sistema ineficiente e rudimentar de agricultura. Poderia, se por bom gosto das autoridades, como acontece com um dos pólos turístico baiano, a cidade de Rio de Contas, moverem forças, nessa que atualmente vem a ser um dos melhores meios para preservar e impulsionar a economia de qualquer município, o turismo. Rio de Contas, hoje, é exemplo. Enquanto que Morro do Fogo e Érico Cardoso, mais um caso típico da falta de visão dos políticos acomodados que Morro do Fogoimperam na nossa querida Pátria Amada.
Uma das atrações fica por conta da Gruta do Pereira. Um buraco na serra, aberto por Manoel Pereira (português) em busca dos filões de ouro. Outra o Poço do Major. Além da linda queda d’água que forma o cenário desse pacato povoado.
Brasil, de povo brilhante, de lugares lindos e de uma história quase esquecida. Fazer do Morro do Fogo a história presente traria um grande beneficio para o povoado e toda a região. Não é correto deixar que as antigas casas dêem lugares as de estilo moderno. Morro do Fogo As ruas sem pavimentação poderiam ganhar um calçamento no formato antigo das lajes de pedras. As residências deterioradas pelo tempo e pelo homem, restauradas no moldes de outrora. A Igreja restituída em seu formato original. O cemitério que hoje não passa de uma área cercada pelo antigo muro de adobe, reformado nos traços antigos.
Patrimônio perdido, dificilmente será recuperado, a imagem de São Miguel. Furtada, por sabe-se lá quem, deixou seu canto na igreja para repousar em alguma sala de algum colecionador no Brasil ou pelo mundo a fora. Como todas as coisas no mundo caminham para a morte, nunca o Morro do Fogo esteve tão perto de Morro do Fogo afundar nos sete palmos de terra.
Nossos governantes, como todos do nosso querido Brasil, esquecem dos deveres, apenas buscam a satisfação particular. Nós, povo em geral, também carregamos nossa parcela de culpa, pois os elegemos e apoiamos essas disparidades. Olhar e tentar imitar os que detiveram sucesso viria a ser o ideal, pois basta apenas vontade.
Rio de Contas é exemplo. Seguir os bons exemplos manda a moral. Para ter ética não basta apenas ganhar uma eleição e ser homem público, mas fazer do mandato uma fonte propulsora de bens em beneficio ao povo e ao local de atuação. Morro do Fogo pela história, pelo seu patrimônio histórico, merece uma atenção digna de seu valor. Espero que mudanças venham a acontecer e que esse povoado volte a brilhar como brilhara no tempo do minério reluzente. Mudar a mente de uma classe é bem mais difícil do que levantar montanhas.
Morro do Fogo, um futuro majestoso para ti.
Veja aqui: Romaria ao Morro do Fogo 2007

Morro do Fogo 2010 Fotos



Por: Luiz Carlos M. Cardoso                       Página Principal
2006-2017..... Luiz Carlos M. Cardoso (Bill)..... © focadoemvoce.com