Lembranças de Judilce para mãe Dó

Apesar de mulher sofrida,
soube lenir dores,
acolher e amparar a todos que dela necessitasse.
Sem contar obstáculos seguia sempre em frente.
Vencendo as noites escuras, o frio, a chuva, o sol escaldante, ou ainda mesmo o cansaço.
Dedicando sua vida às vidas carentes,
quantas vezes usou  suas mãos caridosas para ajudar vir ao mundo, novos seres...
Quantas vezes não fora seu repouso interrompido, para socorrer alguém...
MÃE DÓ, como carinhosamente era chamada, também conhecida como "mãe dos pobres ", assim viveu seus 99 anos, amando e servindo.
Fiel a Igreja e aos preceitos do Mestre,
deixou a lição da coragem, força e fé além do exemplo vivo da caridade.
Na solidão de sua velhice, vejo-a nitidamente sentada na velha "espreguiçadeira", com o xale cobrindo seus ombros (imagem da última vez que a vi).
Impossibilitada (devido a problema de saúde)
de levar-lhe meu último adeus,
fica aqui registrada a minha gratidão
banhada pela lágrima da sudade.
Pelo bem que conseguiu realizar na terra
acredito ouvir sua voz proferir:
"EU ESTOU EM PAZ'
MÃE DÓ que Deus lhe abençõe onde quer que esteja.
 
      Itiruçu, 24 de fevereiro de 1991
      Judilce Cardoso (judilcecardoso2009@hotmail.com)

                                                                                                     Página Inicial